Nossos
Conteúdos

25 de maio de 2021

PDCA: O que é e como aplicar em sua organização


O ciclo PDCA é um método usado para controle de qualidade, avaliando continuamente os processos e produtos. Ele foi criado na década de 20, nos Estados Unidos, por Walter Andrew Shewhart e foi popularizado por Willian E. Deming, considerado por mutos o “pai” do controle de qualidade moderno. O PDCA consiste em quatro fases: 

Essa metodologia é bastante ágil e também intuitiva, e por isso pode ser aplicada em empresas de diversos tamanhos e segmentos de atuação. Ela é baseada na metodologia científica: uma hipótese é criada, então experimentos são colocados em prática e por fim tudo é avaliado. Além disso, são feitas iterações (ou seja, o ciclo é feito novamente assim que as hipóteses são confirmadas ou negadas). 

Por ser uma metodologia de controle de qualidade, pode trazer diversos benefícios para as organizações, incluindo diminuição de custos, melhoria de qualidade, diminuição de prazos de entrega, entre outros.  

A seguir, entenderemos melhor as suas etapas. 

Etapa 1: Planejamento 

Inicialmente, é definido qual problema será abordado e os seus impactos são mapeados.  Em seguida, são investigadas as suas características, sob várias perspectivas, buscando sempre uma visão ampla. Na sequência, é realizada uma análise para descobrir as causas fundamentais, e por último, é elaborado um plano de ação, para sanar a questão. 

Nessa etapa são formalizados objetivos e metas, assim como o método e os profissionais responsáveis pelo plano de ação. Podemos usar como ferramentas: gráficos, diagramas, fluxogramas, estratificação, análise 5W2H, tempestade cerebral, cronogramas, entre outros. 

É muito importante que essa investigação não seja feita de forma superficial, o que poderia colocar todo o projeto de melhoria em risco. Por isso, é recomendado envolver na análise as equipes que estão envolvidas naquele processo.

Etapa 2: Execução 

Nessa etapa, os planos de ação devem sair da teoria e serem colocados em prática. Deve haver bastante cuidado para que o plano de ação seja efetivamente implantado, sendo de fundamental importância uma comunicação efetiva. Em muitos casos, pode ser necessário aplicar treinamentos para a equipe envolvida. Todos os resultados obtidos devem ser registrados. 

Etapa 3: Verificação 

Com os resultados da etapa de execução em mãos, é verificado se as ações foram realmente efetivas para solucionar o problema. Isso pode acontecer paralelamente à execução, ou depois dela. Nessa fase podem ser usadas análises estatísticas, diversos tipos de gráficos, e comparações com ações anteriores. Também é confirmado se todas as ações foram implementadas. Os critérios dessa verificação devem ser claros, para que ela seja feita de maneira efetiva. 

Etapa 4: Atuar Corretivamente 

Nessa etapa, pensamos não apenas em corrigir o problema uma vez, mas em solucionar ele de maneira que não se repita. Por isso, se na verificação o problema foi sanado, as ações devem ser incorporadas ao processo, a partir de uma padronização. Podem ser usadas análises 5W2H, e criados POP’s (Procedimentos Operacionais Padronizados), por exemplo. 

Um ciclo que se repete 

PDCA é uma metodologia pensada para ser cíclica, e não para acontecer apenas uma vez. Caso o problema não tenha sido resolvido, o ciclo deve ser repetido para a mesma situação, buscando novas maneiras de solucioná-lo. Se ele for resolvido, outra adversidade pode ser escolhida para ser melhorada. Por isso é um método de melhoria contínua. 

Ainda que o método PDCA não seja novo, ele pode trazer muito benefícios para a organização, porém, deve haver um cuidado para que seja feito da forma correta, e realmente traga as mudanças desejadas.  

Implante o PDCA na sua empresa. Entre em contato e fale com um dos nossos consultores. Nós podemos te ajudar. 

Receba
novidades

Fique por dentro das novidades.
Deixe seu contato para que possamos mantê-lo atualizado.